Secretário de Comunicação comenta pesquisa que aprova Governo Flávio Dino entre 65% e 69%

[rrssb buttons="whatsapp, facebook, linkedin, twitter, gplus, email"]

“É a população reconhecendo as ações do Governo do Estado”, pontuou o secretário de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos (Secap), Rodrigo Lago, em entrevista no programa Comando da Manhã, apresentado pelo radialista Gilberto Lima, na Rádio Timbira – Nova 1290 FM, nesta segunda-feira (6). No programa, o secretário se posicionou sobre pesquisa realizada em São Luís e Imperatriz, que avaliou a gestão do governador Flávio Dino, com 65% e 69% de aprovação, respectivamente, em meio à pandemia do novo coronavírus. Lago destacou ainda ações que contribuíram para o alcance desse índice.


Rodrigo Lago inicia a entrevista enfatizando a satisfação em receber esse resultado, que revela um acerto no encaminhamento das políticas públicas pelo Governo do Estado. “Essa evolução pode-se ver em qualquer área da gestão e esse reconhecimento é resultado de muito trabalho e esforço da gestão, que se estruturou ao longo dos últimos cinco anos, merecendo o aval da população”, disse. As pesquisas, realizadas pela Exata, e publicadas pelo Jornal Pequeno na edição de 07 de julho, foram realizadas entre os dias 24 e 29 de junho, sendo entrevistadas 1.401 pessoas, nas duas maiores cidades do Maranhão.


O secretário pontuou medidas que contribuíram para o bom índice de aprovação, destacando a mais recente, com o exitoso enfrentamento ao novo coronavírus. Entre estes, a entrega de mais de dez hospitais regionais, antes mesmo da pandemia, e a ampliação dos leitos para tratamento da doença; o projeto Sorrir, de atendimento dentário; a rede Ninar, com a Casa de Apoio, e o centro de tratamento a problemas neurológicos infantis; novas policlínicas; novo Hospital do Câncer; anunciando para breve a entrega do Hospital da Ilha de São Luís e o Socorrão de Imperatriz.


Rodrigo Lago continuou citando outras realizações em áreas como educação, assistência social e cidadania, que refletem positivamente no atual cenário. Destacou a ampliação do Viva Cidadão e de Restaurantes Populares, ambos de cinco para cinquenta unidades, e hoje, encontrados em todas as regiões maranhenses; construção da Casa da Mulher Brasileira em São Luís e em Imperatriz; condução do maior programa educacional do Brasil com mil obras; avanço em 21% no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).


O secretário lembrou o que chamou de “revolução no sistema penitenciário maranhense, no qual o Complexo de Pedrinhas era uma vergonha e hoje, motivo de orgulho”. Lembrou que nesta gestão, os internos cumprem sua pena com dignidade e produzindo para a sociedade e para sua própria reinserção nesse meio. Estão em funcionamento produções de móveis, fardamento, bloquetes para pavimentação de ruas e de máscaras de proteção contra o coronavírus.


Lago prossegue com as ações de estímulo à agricultura familiar; promoção de mais nove mil policiais; realização de concurso para polícias Civil e Militar; ampliação das bases do Corpo de Bombeiros de cinco para trinta e nove unidades; construção dos Centros Táticos Aéreos (CTA) de Presidente Dutra e Imperatriz. “Todas essas medidas foram essenciais para que o Maranhão obtivesse bons índices e controle dessa doença. A pandemia atrapalha a evolução no país inteiro, mas permanecemos firmes”, reforçou.


Questionado sobre impacto da gestão federal no planejamento do Governo do Estado, Lago citou os mais de 150 milhões necessários à manutenção da rede de saúde estadual, sendo mais de 100 milhões custeados pelo Governo do Estado. “Com esta pandemia, foi preciso reunir esforços para manter o sistema funcionando e garantir que o cidadão tivesse um atendimento humanizado e adequado no trato desta doença, salvando vidas”.


Lago defendeu o Sistema Único de Saúde (SUS) e enfatizou que o sistema precisa ser melhor visto pelo Governo Federal. Na entrevista, citou que, em meio à pandemia, houve falta de leitos na rede particular de saúde e “essas pessoas foram salvas pelo serviço prestado na rede pública”.


Sobre o cenário de gestão nacional, na avaliação do secretário, o Brasil hoje é um navio sem comando. “Em contrapartida, no Maranhão, a gestão Flávio Dino mostra avanço nas políticas públicas e muitos êxitos, refletindo nesta aprovação expressiva”, pontua. “Lamento profundamente o projeto de país que está se tentando aplicar na gestão federal. Será que esse é o caminho que queremos para o Brasil?!”, enfatizou Rodrigo Lago.


Rodrigo Lago respondeu ainda questão do radialista Gilberto Lima sobre medidas para não haver novo pico de contaminação pelo coronavírus. Lago lembrou que “tudo sobre o vírus é novo, mas, se tem a esperança da descoberta da vacina e estamos combatendo e aprendendo a conviver com essa nova forma de vida”. Destacou que, de fato, não teria como manter a economia fechada por muito tempo e houve reabertura com a contrapartida de que sejam cumpridos os protocolos para manter o controle e a curva de retração.


“Respeitando os protocolos, poderemos retornar gradativamente a vida. Nosso índice de contaminação atualmente é baixo e queremos que esse controle continue, pois a doença continua sendo grave e causando mortes. Que a população se engaje e todos respeitem as orientações das autoridades sanitárias locais e mundiais. Não queremos novas medidas restritivas, nem outro lockdown”, concluiu Lago.