Caema inicia obras de despoluição dos Rios Pimenta e Claro

    Operários já deram início a escavação de valas para instalação da linha de recalque da elevatória

    Operários já deram início a escavação de valas para instalação da linha de recalque da elevatória

    Lançadas pelo governador Flávio Dino com o objetivo de melhorar a balneabilidade das praias, as obras de despoluição dos Rios Pimenta e Claro, executadas pela Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), foram iniciadas, na quinta-feira (3). A empresa responsável já realiza trabalhos de limpeza da área para construção da elevatória do Rio Claro e execução da instalação da linha de recalque da elevatória. Os tubos a serem utilizados também já estão nos locais das obras.

    “As obras já começaram em ritmo intenso. Neste momento, já foram iniciadas aberturas de valas ao longo dos leitos dos rios para instalação da tubulação. Em menos de 10 dias da assinatura das ordens de serviços pelo governador Flávio Dino, estamos vendo as obras iniciando a todo vapor. Um passo significativo para a melhora da balneabilidade de nossas praias”, disse o diretor-presidente da Companhia, Davi Telles.

    As obras fazem parte do programa ‘Mais Saneamento’ e serão concluídas em 12 meses. O investimento, nesta primeira fase do programa de despoluição das praias é de mais de R$ 14 milhões.

    O projeto de despoluição dos Rios Pimenta e Claro prevê a instalação de um novo sistema de tubulação com 4.135 metros de extensão nas margens, além da construção de uma estação elevatória e redes coletoras de mais de 30 mil metros na região.

    No plano de saneamento, que objetiva elevar o nível de tratamento de esgoto de 4% para 70%, serão construídas mais de 40 estações elevatórias de esgoto (EEE’s), duas grandes estações de tratamento de esgoto (ETE’s), a ampliação das estações já existentes e perfuração de vias públicas para instalar redes coletoras e interceptores.

    Tubos que serão utilizados na obra já estão nos locais de construção da elevatória do Rio Claro

    Tubos que serão utilizados na obra já estão nos locais de construção da elevatória do Rio Claro