Governo prepara educadores para integração do Ensino Médio e cursos técnicos

    Foto2_Divulgação - Jornada Pedagógica que marca preparativos dos cursos técnicos do IemaOs professores do Colégio Maranhense Marcelino Champagnat estão se preparando, por meio de uma Jornada Pedagógica, para a integração do Ensino Médio com os cursos técnicos oferecidos pelo Instituto Estadual de Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema). A Jornada Pedagógica começou na segunda-feira (4) e vai até sexta-feira (8). Os professores irão tratar de temas como avaliação, interdisciplinaridade e do Plano de Ação para 2015. A iniciativa do Governo do Maranhão é desenvolvida por meio da parceria entre as Secretarias de Estado de Ciência e Tecnologia (Secti) e de Educação (Seduc).

    As aulas do Colégio Maranhense se iniciam na próxima semana com acolhida aos estudantes que poderão escolher entre dois cursos profissionalizantes – Programação e Manutenção em Rede. O Iema realizou seletivo para professores especializados na área. Nesta primeira fase, uma equipe está discutindo os Projetos Pedagógicos e de Desenvolvimento Institucional. A proposta é que os educadores participem da construção de ambos.

    Nas boas-vindas dos docentes, a supervisora do Ensino Médio do Estado, Eliana Pereira, reforçou a importância do modelo adotado para os jovens. “O Governo do Maranhão aposta nesta escola como o início do que é proposto para o Ensino Médio em nível nacional. A meta é alcançar o ensino integrado até o próximo ano”, afirmou.

    Na oportunidade, houve uma avaliação do desempenho do Colégio em 2014, quando foi adotado o ensino integral. A adaptação visa atender à demanda de jovens entre 15 e 17 anos que têm o objetivo de ingressar imediatamente no mercado de trabalho. Para ampliar o atendimento a essa demanda, o governo pretende inserir, ainda este ano, pelo menos outros mil jovens no Programa Jovem Aprendiz.

    Iema em 23 municípios
    Durante a apresentação das diretrizes do Iema, os participantes da Jornada Pedagógica conheceram a proposta de estrutura física dos campi que, nesta primeira fase, serão instalados em 23 municípios do Maranhão. Foram priorizadas as cidades que não possuem Instituto Federal de Ciência e Tecnologia, as que têm alta demanda e as que cederam prédios e/ou terrenos. “Incluir na grade curricular do ensino básico cursos técnicos e tecnológicos dialoga com a necessidade de preparar o aluno para o trabalho e cidadania. Uma ação que não pode ser realizada sem o apoio dos professores”, enfatizou o pró-reitor de Planejamento do Iema, Daniel Lima.